Header AD

Estado de Emergência

Waldez decretará estado de emergência a partir do dia 1 de janeiro

O governador eleito Waldez Góes(PDT) revela em entrevista para a imprensa local que decretará Estado de Emergência já no primeiro dia de governo nas áreas da saúde, educação e segurança pública.

Na educação, segundo o governador eleito, metade das escolas estaduais está inadimplente e que o estado perdeu recursos, além de existirem salários atrasados de professores horistas, merendeiras, serventes e transportadores escolares.

Na Segurança Pública Waldez declara que os carros que atendem os policiais militares estão com pagamentos atrasados; informa ainda a decisão de não morar na Residência Oficial e que esta opção irá reduzir em 60% o número de policiais militares que hoje estão no gabinete do governador Camilo Capiberibe(PSB), o que dá, segundo Waldez, 190 policiais efetivos, os quais irão ajudar no policiamento ostensivo e preventivo; diz mais, que irá contingenciar cargos de confiança, diminuirá gastos com telefone e gerências de projetos diante da “difícil situação” com que esta recebendo o Estado.

Retrospectiva

Em 2011, o governador Camilo Capiberibe mostrou documentos que lançavam luz sobre a situação de como recebeu o Estado deixado por Waldez/Pedro Paulo, revelando um relatório confidencial enviado no dia 30 de abril de 2010 ao então governador, Pedro Paulo Dias de Carvalho, da qual mostrava a realidade financeira que o ex-governador Waldez Góes (PDT) deixou as finanças, após 7 anos e três meses de governo.

O documento enviado pelo secretário de planejamento à época, Sebastião Rosa Máximo, detalhava a crise financeira, o estado de pré-falência e o caos nas contas públicas de um documento oficial do governo Waldez de abril de 2010 tratando do caos nas contas públicas naquele ano.

"Reitero a Vossa Excelência que, a enfermidade financeira do Estado não é só grave, ela é gravíssima, o Estado pede socorro, enquanto agoniza em seu leito de morte! A situação pode ser compara a uma patologia cancerígena, que precisa ser logo extirpada, para não comprometer todo o corpo" relatou a Pedro Paulo o então secretário Sebastião Máximo.

Dívidas de mais de R$ 1 bilhão de reais.

Waldez deixou o Estado inadimplente com os órgãos da administração pública federal, fornecedores, prestadores de serviços, encargos sociais e previdenciários, consignados, precatórios, contrapartida de convênios federais e parcelas de convênios realizados com as prefeituras. Góes utilizou indevidamente R$ 27 milhões da conta de investimento do BNDES na conta salário. Havia um débito parcelado com a Amprev de R$ 130 milhões e outro a parcelar de R$ 145 milhões.

"Existe um débito parcelado com AMPREV de R$130 milhões de reais e outro a parcelar de R$ 145 milhões de reais, deste ultimo 65 milhões de reais foram deduzidos dos salários dos servidores e não repassados aos órgãos previdenciários; com as consignações em folha de pagamento o comprometimento chega a R$ 585 milhões de reais dos quais R$ 34 milhões encontram-se vencidos e deduzidos dos salários dos servidores e não quitados junto as consignatárias"

Veja a íntegra do documento.
relatório
Com informações do Diário do Amapá e Brasil247/AP
__

Estado de Emergência Estado de Emergência Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on terça-feira, dezembro 30, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD