Header AD

Estado de Emergência

Waldez decretará estado de emergência a partir do dia 1 de janeiro

O governador eleito Waldez Góes(PDT) revela em entrevista para a imprensa local que decretará Estado de Emergência já no primeiro dia de governo nas áreas da saúde, educação e segurança pública.

Na educação, segundo o governador eleito, metade das escolas estaduais está inadimplente e que o estado perdeu recursos, além de existirem salários atrasados de professores horistas, merendeiras, serventes e transportadores escolares.

Na Segurança Pública Waldez declara que os carros que atendem os policiais militares estão com pagamentos atrasados; informa ainda a decisão de não morar na Residência Oficial e que esta opção irá reduzir em 60% o número de policiais militares que hoje estão no gabinete do governador Camilo Capiberibe(PSB), o que dá, segundo Waldez, 190 policiais efetivos, os quais irão ajudar no policiamento ostensivo e preventivo; diz mais, que irá contingenciar cargos de confiança, diminuirá gastos com telefone e gerências de projetos diante da “difícil situação” com que esta recebendo o Estado.

Retrospectiva

Em 2011, o governador Camilo Capiberibe mostrou documentos que lançavam luz sobre a situação de como recebeu o Estado deixado por Waldez/Pedro Paulo, revelando um relatório confidencial enviado no dia 30 de abril de 2010 ao então governador, Pedro Paulo Dias de Carvalho, da qual mostrava a realidade financeira que o ex-governador Waldez Góes (PDT) deixou as finanças, após 7 anos e três meses de governo.

O documento enviado pelo secretário de planejamento à época, Sebastião Rosa Máximo, detalhava a crise financeira, o estado de pré-falência e o caos nas contas públicas de um documento oficial do governo Waldez de abril de 2010 tratando do caos nas contas públicas naquele ano.

"Reitero a Vossa Excelência que, a enfermidade financeira do Estado não é só grave, ela é gravíssima, o Estado pede socorro, enquanto agoniza em seu leito de morte! A situação pode ser compara a uma patologia cancerígena, que precisa ser logo extirpada, para não comprometer todo o corpo" relatou a Pedro Paulo o então secretário Sebastião Máximo.

Dívidas de mais de R$ 1 bilhão de reais.

Waldez deixou o Estado inadimplente com os órgãos da administração pública federal, fornecedores, prestadores de serviços, encargos sociais e previdenciários, consignados, precatórios, contrapartida de convênios federais e parcelas de convênios realizados com as prefeituras. Góes utilizou indevidamente R$ 27 milhões da conta de investimento do BNDES na conta salário. Havia um débito parcelado com a Amprev de R$ 130 milhões e outro a parcelar de R$ 145 milhões.

"Existe um débito parcelado com AMPREV de R$130 milhões de reais e outro a parcelar de R$ 145 milhões de reais, deste ultimo 65 milhões de reais foram deduzidos dos salários dos servidores e não repassados aos órgãos previdenciários; com as consignações em folha de pagamento o comprometimento chega a R$ 585 milhões de reais dos quais R$ 34 milhões encontram-se vencidos e deduzidos dos salários dos servidores e não quitados junto as consignatárias"

Veja a íntegra do documento.
relatório
Com informações do Diário do Amapá e Brasil247/AP
__

Estado de Emergência Estado de Emergência Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on terça-feira, dezembro 30, 2014 Rating: 5

Nenhum comentário




SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD