Header AD

Jogo Político

Eleição da Presidência da Assembleia une Moisés Souza e grupo político que foi denunciado por ele

Por Sérgio Santos | MZ

Em 2008, preterido na disputa por um milionário contrato da vigilância patrimonial na Secretaria de Estado da Educação (Seed), o deputado Moisés Souza declarou guerra ao seu antigo aliado, o ex-governador Waldez Góes, dando início a um processo que culminou com a prisão do Waldez, sua esposa e as mais altas autoridades do Estado na "Operação Mãos Limpas".

Veja o que disse o Blog Amapá em Dia à época:

"As duas ações da Polícia Federal na Assembleia Legislativa, durante a "Operação Mãos Limpas", foram resultados de uma denúncia feita em 2008 pelo deputado Moisés Souza (PSC) sobre o desvio de cerca de R$ 280 milhões da Secretaria de Estado da Educação (Seed). Na época, a disputa por uma licitação no setor de nefrologia da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) fez romper a lua de mel vivida entre o deputado Moisés Souza (cujo irmão, Marcos Reategui, era procurador-geral do Estado) e o então governo Waldez Góes (PDT). Irritado por ter seus interesses menosprezados pelo governador e aliado, o deputado Souza espalhou por toda a capital do Estado, Macapá, outdoors com denúncias sobre um amplo esquema de desvios de recursos públicos supostamente coordenado pelo próprio chefe do Executivo."

A delação de Moisés fez ruir, como um castelo de cartas, a quadrilha que teria desviado mais de um bilhão de reais dos cofres públicos amapaenses, conforme informou a Polícia Federal à midia local e nacional.

Contradição

Passados seis anos, um burburinho político começou a ser ouvido nas rodas de conversas sobre a política amapaense.

Nesta semana, na Assembleia Legislativa (Alap), o assunto que dominou as conversas de corredor foi a eleição da nova da Mesa Diretora da Casa. O que se falava é que dezenove deputados já estariam fechados com a recondução do deputado Moisés Souza para o cargo de presidente da instituição.

Um dos pontos do suposto acordo seria a indicação pelos parlamentares de dez assessores, com salários de R$ 5 mil cada, para serem nomeados ainda neste ano. Nessa contabilidade, só estariam fora as bancadas do PSB e do Psol.

Se essa articulação se confirmar, Moisés Souza demonstraria toda a sua habilidade na condução do jogo político em benefício de si próprio. Ele, que teria sido o responsável pela prisão do ex-governador pedetista em 2011, conseguiria a proeza de voltar a comandar, na Assembleia Legislativa, o mesmo grupo que foi apartado do poder pela sua ação vingativa realizada em 2008, e que hoje aguardam julgamento, acusados de improbidade administrativa, formação de quadrilha e outros crimes.
__
Jogo Político Jogo Político Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sexta-feira, novembro 07, 2014 Rating: 5

Um comentário


SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


Post AD