Header AD

Jogo Político

Eleição da Presidência da Assembleia une Moisés Souza e grupo político que foi denunciado por ele

Por Sérgio Santos | MZ

Em 2008, preterido na disputa por um milionário contrato da vigilância patrimonial na Secretaria de Estado da Educação (Seed), o deputado Moisés Souza declarou guerra ao seu antigo aliado, o ex-governador Waldez Góes, dando início a um processo que culminou com a prisão do Waldez, sua esposa e as mais altas autoridades do Estado na "Operação Mãos Limpas".

Veja o que disse o Blog Amapá em Dia à época:

"As duas ações da Polícia Federal na Assembleia Legislativa, durante a "Operação Mãos Limpas", foram resultados de uma denúncia feita em 2008 pelo deputado Moisés Souza (PSC) sobre o desvio de cerca de R$ 280 milhões da Secretaria de Estado da Educação (Seed). Na época, a disputa por uma licitação no setor de nefrologia da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) fez romper a lua de mel vivida entre o deputado Moisés Souza (cujo irmão, Marcos Reategui, era procurador-geral do Estado) e o então governo Waldez Góes (PDT). Irritado por ter seus interesses menosprezados pelo governador e aliado, o deputado Souza espalhou por toda a capital do Estado, Macapá, outdoors com denúncias sobre um amplo esquema de desvios de recursos públicos supostamente coordenado pelo próprio chefe do Executivo."

A delação de Moisés fez ruir, como um castelo de cartas, a quadrilha que teria desviado mais de um bilhão de reais dos cofres públicos amapaenses, conforme informou a Polícia Federal à midia local e nacional.

Contradição

Passados seis anos, um burburinho político começou a ser ouvido nas rodas de conversas sobre a política amapaense.

Nesta semana, na Assembleia Legislativa (Alap), o assunto que dominou as conversas de corredor foi a eleição da nova da Mesa Diretora da Casa. O que se falava é que dezenove deputados já estariam fechados com a recondução do deputado Moisés Souza para o cargo de presidente da instituição.

Um dos pontos do suposto acordo seria a indicação pelos parlamentares de dez assessores, com salários de R$ 5 mil cada, para serem nomeados ainda neste ano. Nessa contabilidade, só estariam fora as bancadas do PSB e do Psol.

Se essa articulação se confirmar, Moisés Souza demonstraria toda a sua habilidade na condução do jogo político em benefício de si próprio. Ele, que teria sido o responsável pela prisão do ex-governador pedetista em 2011, conseguiria a proeza de voltar a comandar, na Assembleia Legislativa, o mesmo grupo que foi apartado do poder pela sua ação vingativa realizada em 2008, e que hoje aguardam julgamento, acusados de improbidade administrativa, formação de quadrilha e outros crimes.
__
Jogo Político Jogo Político Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sexta-feira, novembro 07, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD