Header AD

ALAP contra o MP

“CNPG manifesta apoio ao MP-AP e repudia atos legislativos contra a instituição

Secretário do CNPG Ricardo Amaral, presidente da AMPAP, promotor José Barreto, PGJ do MP-AP, Ivana Cei, presidente do CNPG, Eduardo Veiga e o procurador de Justiça do MP-AP, Márcio Alves.
O presidente do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais dos Estados e da União (CNPG), Eduardo de Lima Veiga, veio ao Estado para manifestar apoio o Ministério Público do Amapá (MP-AP) em razão da aprovação, pelos deputados estaduais, de atos legislativos contra a instituição.

Na manhã desta terça-feira (11), o presidente do Colegiado, em diálogo com a imprensa, falou de todas as providências adotadas para impedir a interferência do Poder Legislativo no funcionamento e organização do Ministério Público brasileiro.

presidente do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais dos Estados e da União (CNPG), Eduardo de Lima Veiga, veio ao Estado para manifestar apoio o Ministério Público do Amapá (MP-AP)Para o presidente do CNPG, que também é procurador-geral de Justiça no MP do Rio Grande do Sul, tanto a Emenda Constitucional – (EC) nº 48, quanto o Decreto Legislativo, que visa anular a Lei Orgânica do MP-AP, atacam o conceito de República e ferem completamente o ordenamento jurídico brasileiro.

“Estamos preocupados com o que está acontecendo aqui. Entendemos que estamos diante de uma crise republicana, pois todas essas regras estão previstas na Constituição Federal e na própria Constituição Estadual. Isso representa o ataque de um Poder a uma instituição permanente da República, que é o Ministério Público, situação atípica e ilegal”, observou Eduardo Veiga.

Sobre a EC nº 48, que objetiva modificar o processo de escolha do próximo procurador-geral de Justiça do MP-AP, o presidente do CNPG manifestou plena confiança no julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), proposta pela Associação Nacional dos Membros do MP (CONAMP), junto ao Supremo Tribunal Federal. "Temos a tranquilidade em afirmar que será considerada a sua inconstitucionalidade, ademais, não produz qualquer efeito no processo eleitoral interno, já em andamento”, disse.

Eduardo Veiga destacou ainda, que a matéria, pela relevância, acabou estimulando o ministro do STF, Luiz Fux, a abrir curto prazo para coleta de informações, para em seguida levar o pedido da CONAMP ao Pleno. Sobre o Decreto Legislativo, que visa anular a Lei Orgânica do MP, o presidente do CNPG explicou as duas hipóteses em que uma lei poderia ser anulada, conforme estabelece a Constituição do Estado do Amapá.

 “Uma lei só pode ser derrubada por outra lei, de iniciativa de quem tem o poder para tal, neste caso, a própria PGJ do MP-AP, pois estamos falando da organização do MP ou por uma ADI. Logo, esse decreto não tem validade, nem procedência, portanto, não produz qualquer efeito no mundo jurídico. O fato é que toda vez que o MP luta contra a corrupção acaba sofrendo esse tipo de ataque”, finalizou Eduardo Veiga, que está no Amapá, acompanhado dosecretário-executivo do CNPG, procurador de Justiça Ricardo Amaral.

ASSCOM/MP
__
ALAP contra o MP ALAP contra o MP Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quarta-feira, novembro 12, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD