Header AD

Nota - 60 anos da morte de Vargas

PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO (PSB)

NOTA

Na passagem dos 60 anos do suicídio de Getúlio Vargas, o Partido Socialista Brasileiro registra a importância para o Brasil do construtor do moderno Estado brasileiro. Devemos à sua visão de estadista as bases que possibilitaram a construção do parque industrial brasileiro de nossos dias e a legislação trabalhista contra a qual ainda hoje lutam as forças conservadoras.

Os dilemas do capitalismo moderno nos desafiam a avançar nas formas de proteção ao trabalho. O PSB, desde sua fundação, em 1947, assumiu a defesa dos assalariados em geral e destacou-se na defesa das conquistas trabalhistas. Na Constituinte de 1988, nossos representantes defenderam a ampliação do direito de greve e sua efetividade, participação nos lucros das empresas, penalização da demissão desmotivada, jornada de 40 horas, licença paternidade etc. A defesa do trabalho em face do capital.
Lutamos por um projeto de País que depende de protagonismo da classe trabalhadora. O encontro dos ideais socialistas com o trabalhismo é a chave para forjar a identidade nacional, rumo a uma sociedade igualitária. E cabe hoje a nós socialistas impedir a destruição das conquistas que vêm do ideário de Vargas e ao mesmo tempo estabelecer a pauta de novas conquistas sociais, atuando contra qualquer tipo de discriminação, contra o trabalho escravo e suas formas análogas, contra o trabalho infantil e juvenil, entre outras questões que envolvem a agenda da justiça social e trabalhista moderna.

Antes de sua trágica morte, Eduardo Campos frisou, já em campanha à Presidência da República, que não atuaria para a perda dos direitos sociais dos trabalhadores. Seu compromisso, ao contrário, era com essa pauta. Seu governo estaria comprometido a fazer o Brasil voltar a crescer, única forma de garantir a continuidade dos avanços sociais e econômicos conquistados pela classe trabalhadora.

Eduardo frisou que nosso esforço coletivo movia-se na direção do aumento da produtividade em geral, da melhoria da educação e incremento da inovação. Nenhum de nossos problemas será enfrentado se o País não voltar a crescer e ao mesmo tempo assegurar melhores condições de vida aos trabalhadores, universalização do ensino e formação de nossa mão-de-obra. Nosso esforço deve se dar para a criação de riqueza e sua distribuição.

É nosso compromisso agir para que o País supere os constrangimentos ao seu desenvolvimento. O Brasil, pela extensão e importância continental, pela potência de sua população, diversidade e riqueza de seus recursos naturais, pelo seu parque industrial, pela pujança seu mercado interno, tem todas as condições necessárias para enfrentar os efeitos da crise que ainda vivemos. Para tanto, é essencial que os trabalhadores jamais renunciem à luta pela soberania nacional, pela reforma agrária, pela defesa da economia nacional, pela superação da pobreza e da concentração de renda. Com a força e a unidade de todos os brasileiros construiremos um país justo e democrático. Assim honraremos o sacrifico de Vargas em 24 de agosto e 1954.

‘Não vamos desistir do Brasil’.

Saudações socialistas,

Brasília, 24 de agosto de 2014
__
Nota - 60 anos da morte de Vargas Nota - 60 anos da morte de Vargas Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, agosto 25, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD