Header AD

Gilvan Borges e a cultura das pesquisas oportunistas

De dois em dois anos, o jornal “O tablóide” reaparece com dados duvidosos em pesquisas eleitoreiras

"Ex-governador paralelo do Amapá, Gilvan Borges" - foto reprodução facebook
“No Amapá, candidato de Sarney faz pesquisa e aparece na frente”, as palavras do analista político do UOL, o jornalista Fernando Rodrigues, na matéria que ironiza o resultado da pesquisa eleitoral realizada pela família Borges, certamente ditas por ter conhecimento da existência de uma cultura politiqueira de enganação que vem sendo praticada há anos pelo PMDBista Gilvan Borges.

Gilvan é o proprietário do grupo de comunicação que encomendou o levantamento dos dados que levaram a candidata Dora Nascimento (PT) a apontar uma suposta "manipulação" dos resultados de uma pesquisa divulgada recentemente. A cultura da enganação parece ser o traço mais marcante - e estratégico- na trajetória política do ex-senador. Em termos populares, pode-se dizer que Gilvan Borges “não se emenda mesmo”, já que não é a primeira vez que isto acontece e, provavelmente, não será a última.

 O “ex-governador paralelo”, hoje candidato ao senado, há 20 anos não vence uma única eleição no Amapá, e, até para assumir o último mandato, precisou recorrer ao “tapetão” com o apoio da inconteste influência de Sarney para assumir cargo eletivo em Brasília.

Ao que parece, o sobrenome "Borges" na política amapaense carrega um fardo férreo, é como se a genética da derrota o acompanhasse de dois em dois anos, em época das eleições.

Rememora-se a eleição para prefeito de Santana, em 2008.

Meses antes daquela eleição, o senador sarneysista licenciou-se do senado para dar vez e voz ao irmão Geovani Borges, que seria naquele momento o futuro candidato do PMDB a prefeito do município de Santana.

Inacreditavelmente o candidato da família, Geovani Borges, com mais tempo de TV do que os outros candidatos; segundo ação na Justiça Eleitoral, com os apoios do Diário do Amapá, do Jornal do Dia, da TV Tucuju, das Rádios de Santana e Macapá; e com recursos de R$ 6 milhões desviados da FUNASA, segundo a polícia Federal; ainda assim perdeu a eleição para Antônio Nogueira (PT) naquele ano de 2008 em Santana.

Impressionava o conglomerado de comunicação em torno do candidato Geovani Borges. Os autos da Ação nº 2.045/2008 destacam a atuação em conjunto dos impressos “O TABLÓIDE”, “O DIÁRIO DO AMAPÁ” e do “JORNAL DO DIA”; jornais que demonstraram uma descomunal parcialidade a favor do candidato Geovani Borges ao publicarem matérias tanto desfavoráveis ao candidato Rosemiro Rocha (PTB), quanto ao candidato Antônio Nogueira(PT).

Capas desses diários em manchetes ostentavam dados desproporcionais em tabelas de pesquisas eleitorais: “GEOVANI BORGES LIDERA PESQUISA EM SANTANA”. Inusitado que as empresas que faziam a pesquisa daquela época são as mesmas que publicaram na semana passada a liderança de Gilvam Borges e Waldez Góes nas eleições deste ano – a “RGC Borges” e o jornal “O Tabloide” - que contrataram e divulgaram o levantamento, têm até o mesmo CNPJ e são registrados no endereço da TV Tucuju, em Macapá, pertencente ao ex-senador Gilvam Borges.

Tomando como parâmetro as eleições de 2008, em Santana, e as de 2014, em todo o Amapá, mesmo com o peso - naquele momento- do abuso do poder econômico e midiático (felizmente, a forte influência não interferiu diretamente na tomada de decisão do eleitor). E se hoje, pode-se contar com o contraditório da mídia alternativa -as redes sociais- e da percepção da má notoriedade de Gilvan Borges e de sua mídia oportunista e obscura que tenta manipular a opinião da população, subestimando a capacidade de discernimento do eleitor que o tem mantido longe da atividade parlamentar, resta saber se finalmente ele conseguirá quebrar um tabu que perdura por mais de 20 anos, o de não vencer eleições?

O espaço está aberto para todos os citados neste post
__
Gilvan Borges e a cultura das pesquisas oportunistas Gilvan Borges e a cultura das pesquisas oportunistas Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, agosto 11, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD