Header AD

Duro "golpe" nas pretensões do grupo político que tem Waldez candidato ao governo

Ao fechar emissoras de rádio e TV que funcionavam como um partido político, Justiça desfere revés histórico nas pretensões do projeto de poder político comandado por Waldez Góes e Gilvam Borges

Partido da Imprensa Golpista do Amapá-PIG. (montagem google images)
O Grupo político comandado pelos candidatos ao governo, Waldez Góes (PDT), e ao senado, Gilvam Borges (PMDB), sofre um revés histórico em consequência da suspensão de transmissão das 16 emissoras de rádio e 2 emissoras de televisão do grupo Beija Flor de Comunicação. Segundo acusações, esses meios de comunicação funcionavam como um partido político (ou como uma ponta de lança) nos ataques aos adversários do grupo, principalmente ataques eivados de calúnia e difamação à honra de lideranças do estado, como o governador Camilo Capiberibe e o prefeito de Macapá, Clécio Luis; chegando até ao senador Randolfe Rodrigues (PSOL).

29 de agosto de 2014 será uma data que deverá ficar na memória dos eleitores, pois ao cumprir decisão judicial num final de tarde de sexta-feira, a Polícia Federal lacrou os transmissores das emissoras. O fato é tido e havido como inédito na história das eleições no Amapá, ainda mais quando se trata de apadrinhados políticos do poderoso senador maranhense. E ficará como uma lição para aqueles com confundem “Liberdade de Expressão” com a “liberdade de calunia e difamação”.

O que não falta são provas dos excessos na crítica à gestão administrativa, quando tergiversam desta para ataques pessoais. Bastava ouvir qualquer emissora do grupo em um dia aleatório para suspeitar imediatamente de certa “liberdade de agressão” aos adversários políticos.
Ao proferir uma decisão como esta, o desembargador Carlos Tork só poderia fazê-la em decorrência da averiguação da sucessão de ataques à Lei Eleitoral.

A sucessão das ofensas teve início com o programa “Opinião” de Gilvam Borges; depois, a verborreia do programa Tribuna no Rádio, de Roberto Gato, Juracy Freitas e Luís Trindade; condenações de “Da Lua” e Carlos Lobato do Tribuna da Cidade, além de Ediane Borges e Sílvio Souza; suposta expulsão do jornalista J. Ney de uma dessas emissoras de rádio.

No total a Justiça Eleitoral recebeu mais de duzentas acusações de afronta à legislação eleitoral. Entre outras ilegalidades havia até vinhetas que iam ao ar de meia em meia hora nas programações. Além de entrevistas permeadas de agressões, como as de Gilvam e Geovani Borges com o advogado Ercílio Aquino no programa “O Estado é Notícia”, no início de agosto; dezenas de degravações de afronta às leis eleitorais.

As emissoras são acusadas de transgredirem inúmeras vezes as regras eleitorais que foram registrados dezenas de fatos considerados absurdos pela Lei Eleitoral. Tantas foram as acusações de ilegalidades que certamente não haveria como tirar do ar um ou outro programa, porque os atos eram inseridos sistematicamente durante toda as programações das emissoras, inclusive nos intervalos comerciais, tanto dos rádios quanto das tvs.

No despacho do magistrado Tork não há quaisquer dúvidas de que as emissoras (ligadas a Gilvam Borges) causavam desequilíbrio eleitoral, e beneficiavam diretamente o grupo político de Gilvam e Waldez Góes.

Na liminar o desembargador confirma as diversas provas dos autos. “Em juízo da cognição sumária, entendo que se encontram presentes os requisitos para deferimento da medida liminar, diante do excesso do limite da crítica e ao direito de opinião, assim como do escancarado favorecimento às candidaturas de Gilvam Pinheiro Borges e Antônio Waldez Góes da Silva, desequilibrando radicalmente o pleito em prejuízo de todos os demais candidatos, principalmente em face daqueles que concorrem ao governo e ao senado.”, relata Carlos Tork.

Diante desta liminar histórica, não há como não dizer que o grupo político comandado pelos políticos Gilvam e Waldez sofre um duro "golpe", porque eles descem da berlinda protetora desses veículos de comunicação e se igualam aos demais candidatos. (O espaço está aberto para os citados neste post)

Polícia Federal lacra emissoras de rádio e tv do grupo Beija Flor de Comunicação -reprodução
__
Duro "golpe" nas pretensões do grupo político que tem Waldez candidato ao governo Duro "golpe" nas pretensões do grupo político que tem Waldez  candidato ao governo Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sexta-feira, agosto 29, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD