Header AD

Dinheiro que parou de circular foi o da corrupção, diz Camilo em entrevista à Diário FM

 “Como pode parar de circular dinheiro se grandes empresas estão se instalando aqui, se o comércio está ampliando suas lojas, se shoppings estão sendo inaugurados. Ninguém investe onde não circula dinheiro”, declara Camilo à Diário FM

Candidato Camilo em sabatina na Diário FM - reprodução
Respondendo pergunta feita por um economista que queria saber por que o dinheiro parou de circular no Amapá, Camilo 40 foi enfático ao afirmar que o dinheiro que parou de circular foi o dá corrupção. A sabatina ocorreu na manhã desta quinta-feira, 28, no Programa Luís Melo Entrevista, da rádio Diário FM.

Camilo 40 disse que esse argumento é feito por parte da imprensa e de setores da oposição que criticam seu governo. “Como pode parar de circular dinheiro se grandes empresas estão se instalando aqui, se o comércio está ampliando suas lojas, se shoppings estão sendo inaugurados. Ninguém investe onde não circula dinheiro”, declarou.

Quando foi questionado sobre corrupção Camilo 40 foi taxativo: “Em três anos e sete meses nenhum secretário meu foi preso. No passado, a Polícia Federal fez nove operações e na última levou as principais autoridades”.

No que se refere ao combate a este tipo de crime, Camilo 40 citou os instrumentos criados em sua gestão como o Portal da Transparência, a criação do Núcleo de Repressão à Corrupção e Combate ao Crime Organizado, além da junção da Auditória e Ouvidoria, que foram transformadas em Controladoria Geral do Estado.

Nas perguntas feitas sobre segurança pública, Camilo 40 falou que em sua gestão o número de homicídio foi reduzido no Amapá, mas que para isso fez a aquisição de 400 novas viaturas, chamou mais de 800 novos soldados, criou as Unidades de Policiamento Comunitário, entre outras ações importantes que tiveram impacto direto na segurança pública do Estado.

Questionado sobre o fato de ter comprado carteiras escolares no Estado de São Paulo Camilo foi incisivo: “Durante muitos anos nem se comprou carteiras. Eu não podia deixar as crianças sentadas no chão”, declarou.

Em seguida, explicou que o Governo do Amapá desenvolveu protótipo de uma carteira mais leve e que poderá ser construída pelo setor moveleiro local, dentro das exigências do Ministério da Educação. “Agora vamos licitar 40 mil carteiras escolares que serão produzidas pelos moveleiros locais”, informou.

Camilo 40 respondeu ainda a perguntas nas áreas de educação, saúde, habitação, BR-156, dívidas, infraestrutura. No final Camilo 40 concluiu dizendo que foi o governante que mais fez concurso público. “Acabamos com os contratos que neste período viravam cabos eleitorais e garantimos estabilidade para o servidor. Fiz concurso e na próxima gestão vou fazer muito mais”. (As informações são Assessoria de comunicação de Camilo/40)

_
Dinheiro que parou de circular foi o da corrupção, diz Camilo em entrevista à Diário FM Dinheiro que parou de circular foi o da corrupção, diz Camilo em entrevista à Diário FM Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, agosto 28, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD