Header AD

Saúde pública

Texto para reflexão escrito por uma professora de sociologia

Nos 8 anos de governo de Waldez Góes não foi construído nenhum posto de saúde; nenhum leito de hospital enquanto a população cresceu em torno de 40% - foto: Waldez sendo conduzido pela PF e foto hospital da época da harmonia.
"E por falar em construção, não há dúvidas de que “é mais fácil destruir do que construir”. Sabemos que hoje é perfeitamente possível demolir em segundos uma casa que tenha levado dias, ou meses, para ter sido construída e, num breve passar de tempo, pode-se observar os destroços do que restou da casa em forma de entulho. Se desejarmos reconstruí-la, levaríamos o mesmo tempo que foi gasto para pô-la abaixo? Certamente que não. Da mesma forma que a casa, não é necessário muito tempo para destruir um Estado; em compensação quanto tempo seria necessário para reerguê-lo? O exemplo e a pergunta acima cabem perfeitamente para o caso do estado do Amapá, basta atentar-se aos oito anos de saques aos cofres públicos (dos recursos da saúde, principalmente), de 2003 a 2010, em que o Estado passou por anos de destruição – o mesmo se pode aplicar à saúde pública municipal. Restam uns pontos de interrogação, quanto tempo será necessário para que o Estado possa reconstruir e recuperar o potencial estatal? Não seria preciso no mínimo o mesmo tempo que se levou para destruí-lo? "

(Socióloga Ana Maria Marat)

_
Saúde pública Saúde pública Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quarta-feira, julho 02, 2014 Rating: 5

Nenhum comentário




SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD