Header AD

Entre duas pontes no Amapá

A comparação entre a "ponte de Camilo" e a "ponte de Sarney"

Ponte sobre o Rio Jari abandonada - reprodução

Ponte sobre o Rio Matapi está a todo vapor - reprodução

A diferença entre duas pontes, por Chico Bruno direto da varanda

Ao anunciar o fim de sua carreira política, o senador José Sarney se esqueceu de citar a ponte sobre o Rio Jari como uma obra fruto de uma emenda parlamentar de sua autoria, infelizmente uma obra que se arrasta há muitos anos e que ao que parece se encontra paralisada por malversação dos recursos.

Em relação esta obra ela começou errada com o destino da emenda. O senador José Sarney, não se sabe por quais cargas d’água, destinou os recursos, no valor total de R$ 20,1 milhões, para a construção da ponte ligando o Amapá ao Pará, a Prefeitura Municipal de Laranjal do Jari.

A obra foi contratada em 2003, teve as obras iniciadas em 2007 e que foram paralisadas em 2008, com apenas 39% dos serviços executados, pela descoberta de muitas irregularidades durante fiscalização especial realizada pela Controladoria-Geral da União (CGU).

Em 14 de outubro de 2009, foi feito o anúncio de retomada das obras pelo então governador do Amapá, Waldez Góes, o então presidente do Senado, José Sarney e o então coordenador da bancada federal, senador Gilvam Borges após reunião no Palácio do Setentrião.

Até agora, somente as pilastras da ponte estão levantadas. Uma delas chegou a ter a estrutura levemente abalada no choque com uma balsa.

O grande problema da ponte é que o órgão executor é a Prefeitura de Laranjal do Jari, que não tem capacidade técnica para realizar a empreitada.

Enquanto isso, a ponte sobre o Rio Matapi, cuja obra não saiu do papel no governo passado, está com as obras aceleradas por decisão do governador Camilo Capiberibe, que lutou para retomar os recursos e, que só não começou a obra antes, por causa da demora na liberação da licença ambiental.

“Uma decisão acertada e uma resposta positiva a todos os moradores da região de influência. Uma obra esperada por muito tempo e anunciada várias vezes, inclusive com lançamento de pedra fundamental, agora, ao que parece, vai mesmo ser começada”, como escreveu Josiel Alcolumbre.

A decisão de Camilo reforçou a máxima expressa por ele durante a campanha de 2010: dinheiro tinha o que faltava era gestão.

A ponte mais do que gerar emprego vai promover o desenvolvimento do município de Mazagão e integrar a cidade à região metropolitana de Macapá e Santana, além de servir como segunda opção para se chegar à cidade de Laranjal do Jari.

A ponte sobre o Rio Matapi é maior em concreto armado do Amapá com 612 metros de extensão.

Um investimento de R$ 90 milhões que abre um mundo de oportunidades de desenvolvimento para Santana e Mazagão.

Resumo da ópera.

Enquanto a ponte do Rio do Jari está parada, a ponte sobre o Rio Matapi segue com as obras a todo vapor.

Contra fatos não existem argumentos. A realidade fala por si só.
_
Entre duas pontes no Amapá Entre duas pontes no Amapá Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on terça-feira, julho 29, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD