Header AD

Os reais motivos da aposentadoria de Sarney

Quais foram os verdadeiros motivos que influenciaram na decisão de Sarney em abandonar seu bando no Amapá?

Por Nezimar Borges
Aposentadoria
Não é preciso ser expert em análise política para reconhecer os reais motivos que levaram o senador Sarney a abandonar seu bando no Amapá. Ao olhar para o histórico do modus operandi da política do senador, verifica-se sua face mais obscura: para vencer eleições, ele sempre se manteve no controle do poder, ora com o poder nas mãos, ora de mãos dadas com este poder. Foi sempre assim, nas inúmeras eleições, durante toda sua trajetória política.

Mas como foi possível Sarney – diante de mais uma importante reeleição - ficar sem o apoio do poder no Amapá, tanto do Governo do Estado quanto da Prefeitura de Macapá?

O mérito se deve a um evento ocorrido em setembro de 2010 e que até os dias de hoje reflete na vida política do Estado: a Operação Mãos Limpas da Polícia Federal. Esse importantíssimo evento ainda provoca efeitos irremediáveis até hoje – para os que emporcalharam a política no Estado - sendo o principal motivo da desistência da tentativa de reeleição do todo-poderoso senador.

Felizmente, depois da “Operação Mãos Limpas” o Amapá tornou-se hostil e desfavorável para Sarney. Depois daquela Operação, ocorreram sucessivas perdas institucionais que acabaram por enfraquecê-lo.

O primeiro baque foi a eleição de um adversário histórico para o governo do estado, em 2010; depois a derrota de seu fiel aliado, Roberto Góes, para a prefeitura de Macapá, em 2012; além da queda do seu cúmplice na Assembleia Legislativa do Amapá, Moisés Souza. Perdas que somadas num conjunto, não foram poucas – o coronel acompanhou o controle do poder ser esvaindo por entre os dedos.

Fora do espectro das perdas institucionais, ainda assim, num movimento de ousadia diante das adversidades, o caudilho tentou viabilizar candidatura, mas diante da real situação desfavorável, dois fatores foram determinantes para que entregasse os pontos: a alta rejeição (dados de pesquisas internas confirmadas na prática pela hostilidade nas redes sociais e pelas vaias no Macapaba) e a candidatura de um antigo aliado, Davi Alcolumbre. Sarney não entregou os pontos sem maquinar. Ele tentou de todas as formas barrar a pretensão de Davi, tanto por pressão aos dirigentes do Partido dos Democratas (antigos aliados da ditadura que lhe deram as costas) lá por Brasília, quanto pela pressão aos Alcolumbres, aqui no Estado. Tudo em vão.

Agora, imagine se a Operação da Polícia Federal - que desbaratou a quadrilha dos corruptos – não tivesse existido? Hoje, Pedro Paulo Dias de Carvalho possivelmente seria o governador do estado; Waldez Góes, senador; Roberto Góes provavelmente teria sido reeleito em 2012, sendo o prefeito da capital, Macapá.

Diante desta suposta conjuntura, aliada ao poderio incólume de Brasília lhe servindo, não haveria ambiente mais propício para que o oligarca maranhense arrancasse mais um mandato de oito anos de senador pelo Amapá.

A resposta à indagação ao real motivo de Sarney não ser candidato, é muito óbvia: pela primeira vez na história iria enfrentar uma eleição fora do poder. Mais. Isso graças ao efeito dominó proporcionado pela “Operação Mãos Limpas”. Portanto, o grande mérito dessa façanha se deve à Polícia Federal com a operação que levou o bando de Sarney para a cadeia, em 2010.

Sarney já vai tarde. Que não volte nunca mais!

_
Os reais motivos da aposentadoria de Sarney Os reais motivos da aposentadoria de Sarney Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on terça-feira, junho 24, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD