Header AD

MP: coletiva de imprensa

Membros do MP-AP reúnem imprensa e apresentam provas das denúncias de corrupção no contrato de vigilância da SEED

Os promotores de Justiça Afonso Guimarães, Eder Abreu, Flávio Cavalcante e Adauto Barbosa; subprocurador Geral de Justiça Márcio Augusto Alves - MPE/AP
Os promotores de Justiça Afonso Guimarães, Eder Abreu, Flávio Cavalcante e Adauto Barbosa, acompanhados pelo subprocurador Geral de Justiça para Assuntos Administrativos e Institucionais, Márcio Augusto Alves, prestaram esclarecimentos à imprensa, ontem (12), na Procuradoria Geral de Justiça, a respeito das denúncias de corrupção contra o empresário Luciano Marba e servidores públicos veiculadas em rede nacional de televisão, no último domingo (11). Os membros do Ministério Público do Amapá (MP-AP) apresentaram gravações e documentos que fundamentaram a ação e que embasaram a matéria que mostrou o esquema envolvendo os denunciados.

A matéria mostrou como operavam representantes da empresa LMS Vigilância e Segurança Privada LTDA, do empresário Luciano Marba, e servidores do Governo do Estado do Amapá (GEA) para garantir o contrato de prestação de serviço de vigilância para Secretaria de Estado da Educação (SEED), no valor de R$ 43 milhões/ano. As imagens foram gravadas pelo empresário e aprendidas pelo MP-AP em sua casa.

A ex-secretária de Educação do Estado, Miriam Corrêa; seu marido, ex-gerente da Caixa Econômica Federal (CEF), Edilberto Pontes; o assessor da Comissão Especial de Licitação, advogado Bruno da Costa Nascimento e Eliomar Sozinho Ribeiro, presidente da referida Comissão; e o empresário Luciano Marba; foram citados na matéria por terem sido denunciados pelo MP-AP.

Os promotores mostraram para a imprensa sete vídeos, todos com evidências que comprovam a participação dos envolvidos, incluindo a entrega, pelo empresário, de R$ 15 mil para Bruno da Costa, e R$ 100 mil para Edilberto Pontes, além de uma gravação de um diálogo sobre o ajuste que seria feito no edital da licitação para favorecer a LMS. Foram mostrados, ainda, documentos que detalham a manobra no edital e como aconteceria o processo de ajuste. O MP-AP confirmou, através de perícia da Polícia Técnico Científica (Politec-AP), que os manuscritos são de autoria de Bruno da Costa.

O Ministério Público denunciou os envolvidos no esquema, que são citados na matéria, por crimes de corrupção ativa e passiva, e extorsão. “O empresário corrompia agentes públicos para manter o contrato, e estes, participaram da corrupção. Os vídeos não foram gravados para o empresário se defender como vítima de extorsão, mas sim, para ter os envolvidos em seu poder”, finalizou o promotor Afonso Guimarães.
_
MP: coletiva de imprensa MP: coletiva de imprensa Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on terça-feira, maio 13, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD