Header AD

Ministério Público do Amapá sofre ataque

Suspeitos de corrupção atacam o Ministério Público do Amapá

Dra, Procuradora Geral do Ministério Público - Ivana Franco Cei. Reprodução
Em entrevista numa rádio local na manhã desta quinta-feira, 22, a Procuradora Geral do Ministério Público do Amapá (MP/AP), Ivana Franco Cei, defendeu-se de ataques realizados à sua pessoa e ao Ministério Público em decorrência das investigações sobre a corrupção no Estado, principalmente depois da “Operação Eclésia” - a qual investiga a Assembleia Legislativa do Amapá (ALAP) - e dos repasses dos materiais apreendidos na "Operação Mãos Limpas" feitos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) ao MP local.

Ivana Cei respondeu aos ataques deferidos tanto pela Assembleia Legislativa, quanto pelo juiz federal, João Bosco – suspeito de ser o “homem forte” do senador Sarney no Ministério Público Federal, encontra-se respondendo a processo administrativo no Conselho nacional de Justiça (CNJ), sendo considerado suspeito, inclusive, em várias  ações do MPE.  Além desses, há uma parte da imprensa que, se sentindo inconformada com os bloqueios dos recursos da ALAP que irrigavam vários meios de comunicação, também se lança a atacar o MP.

O MP denunciou - em mais de uma dezena de Ações – atos de corrupção envolvendo quase todos os deputados. A confirmação de provas robustas das práticas ilegais na Assembleia é a aceitação das denúncias pelo Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP). “Os que nos acusam levianamente já estão sendo acionados e as próprias instituições estão concluindo que não passa de uma manobra, apenas, para descredibilizar a instituição, em vez de se defenderem dos crimes por eles praticados”.

 Ivana Cei reforça ainda que a corrupção é muito grande e está extrapolando os limites morais de um estado tão pequeno quanto o estado do Amapá. “Os corruptos estão tentando atingir o Ministério Público com denúncias que já foram arquivadas pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP)”, diz em relação ao Termo Ajustamento de Conduta (TAC) exaustivamente investigadas e arquivadas.

Em relação às acusações sobre o auxílio moradia recebidas pelos procuradores, informa que os mesmos recebem o auxílio desde que o Amapá se tornou Estado, em 1991, não podendo ser responsabilizada pela origem de uma Lei Federal que, obviamente, não é de sua autoria. Lembra que todos os Ministérios Públicos do Estado brasileiro recebem o recurso; confirmando ainda que o MP/AP aguarda o desfecho de uma discussão nacional no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o entendimento, se os procuradores do Brasil devem ou não receber tal auxílio.

A Procuradora chama de “facções” da criminalidade, ao se dirigir aos que falam sobre o auxílio moradia, segundo ela, como forma de desviar o foco diante da impossibilidade dos advogados de defesa de desconstruir as provas dos desvios mais de R$45 milhões, levantadas pelo MP contra a ALAP. Declara que na tentativa de atacar a instituição, seguem julgando grotescamente que “se o Ministério Público comete irregularidades, então eu posso cometer irregularidades; se o Ministério Público comete ilegalidade, então eu posso cometer ilegalidade. Não é nada disso”, argumenta.

“O estado não merece tanta corrupção, as pessoas tem que entender que assim como, às vezes, no tribunal do júri a gente se depara com um homicida e ficam indignadas, as pessoas que desviam o erário público também praticam homicídio, sim, a cada um de nós por que elas obstruíram a possibilidade de atingirmos uma qualidade de vida”.

A procuradora termina a entrevista reiterando que a luta contra a corrupção vai continuar. “A criminalidade ligada à corrupção é muito grande e envolve várias atividades no estado e nós vamos continuar a combater e você, criminoso, não pode praticar crimes, e se praticar crimes, você será denunciado e você naturalmente vai chegar a uma condenação”. Finaliza.

PS1:. O MP vem sim cumprindo sua função constitucional, um deles é defender o patrimônio público e social, sobretudo defender os interesses da coletividade diante dos desvios dos recursos da sociedade.

PS2:. O blog vem acompanhando as ações do MP desde 2011 quando ascendeu ao cargo Ivana Cei. Comprovadamente a Instituição saiu da letargia dos anos anteriores o que preocupa grande parte de políticos corruptos.

O blog está aberto para os citados neste post, caso queiram se manifestar sobre o assunto.

_
Ministério Público do Amapá sofre ataque Ministério Público do Amapá sofre ataque Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, maio 22, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD