Header AD

Corrupção no Amapá: matéria de jornal antecipa a reportagem do Fantástico de hoje

No Fantástico: matéria sobre extorsão de empresário que o governo denunciou à Polícia Federal

O jornal "Folha do Estado", edição desta semana, conta o passo a passo de um dos mais elaborados esquema de corrupção já posto em operação num estado brasileiro.

Veja a matéria:
Folha do Estado - reprodução
O Fantástico deste domingo, 11, vai trazer à tona uma história que não é novidade para a sociedade amapaense: a corrupção. O assunto aborda o contrato de R$ 43 milhões/ano para vigilância patrimonial que a empresa L.M.S. tem, desde 2010, com a Secretaria de Estado da Educação (Seed) e a denúncia que o atual governo ofertou, em 2011, na Polícia Federal (PF), onde o empresário Luciano Marba aparece em imagens repassando R$ 100 mil ao esposo da ex-secretária de Estado da Educação, Miriam Corrêa. Um contrato milionário que já resultou na prisão das principais autoridades políticas do Amapá, como os ex-governadores Waldez Góes e Pedro Paulo, além de empresários e parlamentares.

A história

Antes de a L.M.S. assumir a vigilância patrimonial, desde o início da gestão de Waldez Góes, a empresa Amapá Vip, através de contratos emergenciais, era responsável por esse serviço, onde o Estado pagava praticamente o mesmo valor.

A origem do capital

Num golpe de sorte, Luciano Marba, proprietário da L.M.S., comprou os precatórios da empresa Sanecir, no valor de R$ 7 milhões. Na época, o procurador-geral do Estado, que garantiu agilidade no pagamento da dívida que o Estado tinha com a referida empresa, era Marcos Reategui, irmão do deputado Moisés Souza, ambos investigados pela Polícia Federal. Com o capital em mãos, Marba reuniu as condições necessárias para forçar a realização de licitação à execução do serviço.

O primeiro empecilho

A licitação para contrato de vigilância patrimonial foi realizada em 2008 e, apesar de a L.M.S. ter ganho, a empresa Amapá Vip conseguiu renovar pela sexta vez o contrato emergencial. A questão foi parar na Justiça e lá, novamente, a L.M.S. perdeu.

As primeiras gravações

Como alternativa para driblar o sistema, Luciano Marba gravou conversas que teve com pessoas que favoreciam a Amapá Vip. Com munição em mãos, as denúncias começaram primeiramente na imprensa.

A denúncia na Federal

Sem atingir o objetivo, Marba procurou a Polícia Federal do Amapá e formalizou a denúncia, que mais tarde resultaria na operação Mãos Limpas, a qual revelou um dos maiores esquemas de corrupção do Estado, e em 2010, finalmente, conseguiu assumir os postos de vigilância.

As liminares

A partir de 2011, o atual governo buscou os mecanismos legais para encerrar o contrato. No entanto, a cada tentativa, uma nova liminar surgia, garantindo a empresa nos postos de vigilância.

A corrupção

Para se beneficiar nas licitações, Luciano Marba, como ele mesmo fez questão de gravar, tentou subornar pessoas ligadas à Comissão Permanente de Licitação (CPL) da Seed e, com isso, tirar vantagens diante das outras empresas. Tentou corromper, inclusive, o marido da ex-secretária da pasta, Miriam Corrêa.

As medidas

Tão logo soube do fato, o governador Camilo Capiberibe determinou que a Procuradoria Geral do Estado fizesse a denúncia junto à Polícia Federal pelo crime de extorsão e chantagem. Exonerou a secretária e ordenou que a Seed fizesse a licitação por lote.

Ramificação

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) publicou relatório em que mostra o envolvimento de membros do Tribunal de Justiça com Luciano Marba, justificando a manutenção da empresa nos postos, através de liminares.

As licitações

No total, o Governo do Amapá já fez, até agora, quatro licitações para a contratação de vigilância patrimonial. Em todas, a L.M.S. derrubou o processo licitatório e se manteve no posto por liminares da Justiça. O último edital, lançado esta semana, tem agora o acompanhamento do Ministério Público, Auditoria Geral do Estado e Procuradoria Geral de Justiça do Amapá, e será dividido em lotes, o que vai permitir que mais empresas participem.

_
Corrupção no Amapá: matéria de jornal antecipa a reportagem do Fantástico de hoje Corrupção no Amapá: matéria de jornal antecipa a reportagem do Fantástico de hoje Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on domingo, maio 11, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD