Header AD

Reforma política

Sarney diz que vai liderar a reforma política: é isso ou a revolução

Sarney diz que vai liderar a reforma política: é isso ou a revolução - foto reprodução
247 – O ex-presidente José Sarney está pronto para mais uma batalha. Como tantas das quais participou em seus 83 anos de vida e seis décadas de política, esta é mais uma missão política. Preparando-se para buscar a reeleição como senador pelo Amapá, o experiente Sarney pretende ser uma das principais vozes do próximo Congresso a liderar a reforma política.

- Politicamente, o Brasil não avançou desde os anos 1980. A lei que rege os partidos é de 1985. Ela permite o funcionamento de grupelhos e a dificuldade de implantação de partidos nacionais, afirmou o ex-presidente em entrevista ao jornal El País que se tormou, na sexta-feira 11, a página mais acessada do site do jornal espanhol.

Refletindo ao editorialista Luis Prados sobre as manifestações de junho do ano passado, o caldeirão político eleitoral e os próximos anos para o País, Sarney apresentou uma fórmula resumida de sua sabedoria política:

- Ou tem uma reforma política, ou tem revolução.

Normalmente, Sarney sabe o que diz e prevê o que irá acontecer. Ele, afinal, “não é uma pessoa comum”, como o define, com espanto, o ex-presidente Lula.

Para defender sua grife política conhecida em todo o Brasil, para o bem e para o mal, Sarney está perto de anunciar oficialmente sua decisão de concorrer mais uma vez ao Senado da República. O senador comanda, na prática, a cúpula da política brasileira sobre o carpete azul do Senado nos últimos 24 anos – e não quer ficar de fora, do alto de sua experiência, no momento de tratar a reforma política.

POLÍTICA NO SANGUE - Para o mundo político, a decisão da governadora Roseana Sarney de continuar no cargo até o fim do mandato indicou que o chefe do clã assumiu ele próprio a missão de preservar a dinastia. A filha seria candidata a senadora num momento de forte disputa política no Estado, radicalizado pelos episódios de mortes no presídio de Pedrinhas, em São Luiz, mas preferiu permanecer no comando do Executivo maranhense. No Amapá, onde, depois de ter transferido seu título eleitoral e vencido a disputa em 2006, Sarney tem, hoje, uma base política fixa, com ramificações em todos os partidos – bem ao seu feitio de liderança suprapartidária. Para a família, a candidatura dele é mais estratégica, além de significar o coroamento de uma carreira que passou por todos os cargos do País.

Em 1985, Sarney assumiu a Presidência depois de 21 anos de regime militar. Para superar as armadilhas daquele período, o ex-presidente explicou ao El País qual foi sua base de ação:

- Eu fiz a transição com os militares, e não contra os militares, definiu.

Desde Sarney, é certo que não houve qualquer retrocesso institucional.

Do encontro com Sarney, o editorialista espanhol saiu com a seguinte impressão: “Em seu sorriso parece ficar implícito que o eterno Sarney voltará à arena. A política faz parte do seu sangue”.
_
Reforma política Reforma política Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quarta-feira, abril 16, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD