Header AD

Por internet democrática, governo trava nova batalha com PMDB

Governo Dilma não aceita negociar alterações no marco civil da internet que possam comprometer a democracia na rede. PMDB conta com apoio das teles

Do site da Carta Maior

A guerra entre o governo Dilma e o PMDB do líder da bancada da Câmara, Eduardo Cunha, terá nesta quarta (19) uma batalha decisiva: o marco civil da internet, que desde outubro trava os trabalhos da casa, será colocado, enfim, na pauta de votação. O governo defende a aprovação do projeto construído democraticamente em conjunto com a sociedade civil, nos últimos dois anos. Já o PMDB milita em prol dos interesses das empresas de telecomunicações, fontes consideráveis de doações de recursos privados durante as campanhas eleitorais.

A estratégia do governo será a de abrir as discursões sobre a matéria e, se sentir que há clima para aprová-la, encaminhar a votação imediata. Nos últimos dois dias, o ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, vem conduzindo pessoalmente as negociações com os demais partidos da base aliada para garantir a aprovação do marco civil sem mudanças que comprometam o modelo proposto pela sociedade civil. Os pontos considerados primordiais pelos movimentos de defesa da democratização da mídia estão mantidos.

Para angariar mais apoio, Cardozo chegou a ceder, nesta terça (18), em um ponto até então considerado prioritário pelo governo para garantir a segurança dos dados que tramitam pela rede: a exigência de que todos os call centers das empresas de telecomunicações se localizem em território nacional. A medida, porém, em nada prejudica o principal mérito da proposta: manter a democratização da rede mundial de computadores, ao assegurar que o usuário – e somente ele – possa escolher onde navegar com a velocidade contratada.

O princípio salvaguardado pelo governo, batizado com o nome técnico de ‘neutralidade da rede’, é justamente o principal ponto de discórdia do PMDB de Cunha, porque prejudica o real interesse das teles: transformar a internet em uma espécie de TV a Cabo, em que o usuário tem que pagar a mais para acessar filmes e clips musicais, por exemplo, como já denunciou o ex-ministro da Cultura, Gilberto Gil.

A estratégia do PMDB para o embate, portanto, será a de rejeitar integralmente a matéria, conforme já anunciou o próprio líder da bancada. Se isso não for possível, o partido irá propor a aprovação de um substitutivo ao marco civil que exclui a neutralidade da rede da norma legal. O substitutivo, claro, foi apresentado à Câmara por Eduardo Cunha.

_
Por internet democrática, governo trava nova batalha com PMDB Por internet democrática, governo trava nova batalha com PMDB Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, março 20, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD