Header AD

Política & Cidadania

Coluna Política e Cidadania - Por João Silva

MAIS UMA

Montar escritórios para 24 deputados estaduais em cada município com o dinheiro do contribuinte é mais uma invenção para tentar justificar o orçamento milionário (R$ 150 milhões) que parlamentares irão administrar este ano em um Estado pobre como o nosso! Claro que Isso vai acabar dando com pau na cabeça da rapaziada da ALAP, achando que com eles não pega nada. Certamente ainda estão viajando na maionese daquela decisão do ministro Lewandowski que redundou no retorno (nefasto) de Edinho Duarte (PP) e Moises Sousa (PSC). Esperar que os deputados abrissem um processo para cassar os mandatos do presidente e do 1º secretário da ALAP, é não conhecer os labirintos daquela casa sombria.

RANÇO

Colunista de jornal de papel, dia desses, só faltou dizer que o culpado do ex-prefeito João Henrique ter sofrido cana na Operação Pororoca foi de ex-governador que o nomeou secretário de obras, e fez dele, mais tarde, candidato à Prefeitura de Macapá, terminando por entronizá-lo no Palácio Laurindo Banha. No segundo mandato João Henrique resolveu não aceitar mais orientação do guru do PSB,  foi cantar em outra freguesia, e deu no que deu. É só uma opinião: eu acho que o colunista não vai com a cara do antigo padrinho político do Henrique – mil vezes arrependido, ou está mais por fora do que bunda de índio.

DEVAGAR COM O ANDOR

Charles Chelala pode ser competente, como a mim parece, mas está indo com muita sede ao pote: quer ser governador e fazer a mulher, Claudia, Reitora da Universidade Federal do Amapá…Claro que o Amapá é uma terra de oportunidades, pertence a todos; somos milhares de Mães Luzias de braços abertos a quem aporta por aqui – várias histórias estão ai pra comprovar a generosidade desta terra…Quantos vendedores ambulantes, quantos filhos de ribeirinhos hoje são grandes empresários, médicos, políticos, engenheiros, deputados, juízes, desembargadores, e até governador? Pra chegar lá, primeiro tem que ralar, tem que serenar, subir degraus, um a um, calmamente.

ZERÃO

A desconstrução da verdade no rádio do Amapá é uma coisa doente; nasce de duas vertentes: do interesse contrariado e desejo de acessar outra vez às arcas do Estado, que meia dúzia quase deixa sem um centavo sequer. Um radialista estava dizendo, domingo, que o Zerão ficou abandonado por quase dez anos, dos quais 1 ano no governo de João Capiberibe, 7 anos e 4 meses no Governo Waldez e o resto, 8 meses, no Governo de Pedro Paulo Dias.

Continhas feitas para incluir ex-governador na lista negra dos culpados pelo abandono a que foi relegado e desviar o foco da notícia, que é a reinauguração do Estádio Zerão pelo Governador Camilo que prometeu e cumpriu. O pai levou por que não fez a reforma no último ano do seu governo, mas Waldez que passou quase oito vendo o estádio cair aos pedaços foi tratado como vítima…Imagine se ele não tivesse tido os problemas que teve…

AMIGOS

Amigos felizes com o sucesso dos filhos no vestibular; o engenheiro José Rosário Pastana, lotado na Secretaria de Transporte do GEA, e a esposa Socorro Pastana, curtem a aprovação da jovem Camila Dias Pastana, 17 anos, em três faculdades, duas de direito e outra de medicina, na UEPA, curso a que vai se dedicar a partir de março; o odontólogo Luis Santos e a esposa Conceição comemoram a aprovação do garotão Felipe no curso de engenharia elétrica da Universidade Federal do Pará. É gente nova se preparando para ajudar o Amapá a crescer, parabéns.

COMO DEVE SER

Fiquei com inveja de ver como age a policia italiana em caso como do tal Pizzolato, aquele fujão do Mensalão que deixou o Brasil na calada da noite com medo do ministro Joaquim Barbosa. Depois de cercar imóvel onde estava escondido o cara de pau, sem dar um tiro, homens da lei cortaram o fornecimento de água e luz; aí foi só questão de tempo…O ladrão saiu da toca, foi algemado e levado à presença da Justiça Italiana, que vai decidir logo, logo – se é que ainda não decidiu, o que vai acontecer com ele…Simples, não é?

GENTE FINA

Produzimos no Amapá um tipo de ladrão do colarinho branco diferente. É o ladrão generoso, cujo modus operandi consiste em distribuir parte da grana que desviou com os amigos em pontos estratégicos – rádio, televisão, jornal, em alguma atividade de mídia, onde possam defendê-lo ou tecer-lhe os elogios que ajudam a limpar a imagem e fazer o povo ingênuo esquecer que desviou recursos da saúde, da educação, da segurança pública, da coleta do lixo, do transporte coletivo e por aí afora, como dizia aquele velhinho que roubava mas fazia.

FUMANDO OUTRA VEZ

Isso deu um bololô danado na época; eu me refiro a um grupo de Boêmios do Laguinho que investiu furiosamente contra a cobra adotada como símbolo da nação negra por conta de rico episódio que marcou a história da rivalidade no samba do Amapá, que foi a conquista de título memorável em cima de arqui rival (Piratas ou Maracatu, não lembro bem), virando clichê nos desfiles da escola, algo que nunca deveria ter sido relegado ao esquecimento, quanto mais apagado da história de uma escola que, assim, deixou de prezar pelas suas tradições, ao que me consta, por motivos nada razoáveis; ainda bem que o enredo deste ano (‘É Boemia, Amor’), vai fazer a cobra fumar de novo na Avenida, como nos bons tempos…

UMAS & OUTRAS

Designer amapaense, Ronaldo Picanço, deu show de bola na capa do CD da Rádio Diário e jornal Diário do Amapá prestando caprichada homenagem musical à cidade de Macapá, nos seus 256 anos de fundação, ocorrido no dia quatro de fevereiro<>Quem sabe, sabe, quem não sabe bate palma<>Professor Carlos Zagalo, vizinho e amigo do peito, enfrentou problema de saúde, que já foi superado, graças a Deus<>Vou ao meio do mundo dia 15, sábado, para a festa de reinauguração do Estádio Zerão, depois de muitos anos longe de um campo de futebol no Amapá<>Acho que se houver mudança na FAF, o futebol amapaense pode respirar de novo, pode ressuscitar do coma a que foi submetido pela turminha que insiste em ficar na entidade<>Conversei pessoalmente com o deputado federal Evandro Milhomen (PC do B) depois de boa temporada…Papo girou em torno da nossa preocupação com um “filho” que criamos ao lado de outros macapaenses de boa cepa, a Confraria Tucuju, sobre o que vamos continuar conversando depois dos festejos do aniversário de Macapá – promessa dele, que vou cobrar<>Sem pressa, ainda estou apurando a decisão da direção da rádio Universitária, que tirou do ar programa do estudante de jornalismo e blogueiro, Nezimar Borges, justo no dia em que ia dar uma entrevista na emissora sobre minha atuação na imprensa, carnaval e futebol; o diretor Fernando Canto, com quem tenho boa relação, instado, negou qualquer tipo de censura, já que tenho uma luta na imprensa contra o feudo de José Sarney no Amapá que, dizem, pressiona a direção da emissora quando alguém o critica por lá; de fato, Nezimar me disse que o problema era com ele; resolvi aceitar, por enquanto, as duas explicações, até porque me nego a aceitar que haja censura no meio acadêmico, no campus de uma universidade, ainda mais imposta por um político decrepito, como José Sarney, o inverso de tudo aquilo que significam a construção de um País decente e a livre expressão do pensamento no Brasil<> Não entendo como um intelectual se deixa encantar pela liderança de um político dessa extirpe – para ficar por aqui…Até mais ver
_
Política & Cidadania Política & Cidadania Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on terça-feira, fevereiro 11, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD