Header AD

Legado de miséria

Às vésperas da eleição, filme denuncia o "Maranhão real"

Contra controle midiático local, produção aposta na internet para divulgar o retrato fiel do reduto da família Sarney

Da CartaCapital
Depoimentos de jornalistas, moradores de rua e usuários do sistema público de saúde denunciam o descaso no poder público no reduto da família Sarney
O Luís que nasce. O Luís que morre. São vários Luíses. Eles se espremem nos ônibus, são ambulantes, morrem nos corredores dos hospitais. Vivem. Sobrevivem. São vítimas de uma história que não é nova no estado nordestino. Mas da boca dos Luíses pouco se ouve. "Muitas pessoas no Maranhão sabem o que acontece aqui, mas têm medo de falar". O longa metragem "Luíses- Solrealismo Maranhense", de Lucian Rosa, foi lançado em outubro de 2013 em festivais, mas estreia agora na internet para poder disseminar com mais rapidez a situação da população maranhense. Depoimentos de jornalistas, moradores de rua e usuários do sistema público de saúde denunciam o descaso no poder público no reduto da família Sarney. "O filme está falando, oficialmente, da corrupção no Maranhão", diz Rosa.

O documentário é uma produção do "Éguas Coletivo Audiovisual". O filme se utiliza de elementos ficcionais para falar sobre o cotidiano. O público, por vezes, se confunde sobre quem são os personagens da ficção e os "da vida real".

Segundo os documentaristas, a luta para que o filme seja visto é difícil, pois todo o complexo midiático está nas mãos da família Sarney ou de aliados, limitando a divulgação do longa. "Enquanto o Brasil noticiava os crimes nas penitenciários do Maranhão, os telejornais locais silenciavam o caso. Nos comerciais, são quatro minutos só de propaganda do governo", relata Rosa. "Eu fico me perguntando se o Brasil não tem culpa de o Sarney ter o poder que tem: são inúmeras alianças e um passado na história recente que me fazem acreditar nisso. A política aqui, tanto local, quanto nacional, atrapalha demais o estado e as pessoas...Não é um problema só do Maranhão."

Segundo a produtora Keyciane Martins, o documentário quer dar inicio a "um movimento genuinamente maranhense, envolvendo artistas, professores, moradores de rua..."

O filme "Luises- Solrealismo maranhense" já ganhou prêmios de melhor direção, melhor ator e melhor direção de arte no festival "Guarnicê", o maior do Maranhão, e foi exibido em diversas mostras de cinema. Para ser realizado, apesar do orçamento limitado, o longa fez campanha e arrecadou 1.200 reais para a produção, que aconteceu entre 2012 e 2013.

Toda a equipe, ressalta Lucian, trabalhou voluntariamente. O longa contou com a ajuda do músico Zeca Baleiro, que autorizou o uso da canção A Serpente para embalar o filme. A letra do maranhense destaca: "Eu quero ver a serpente acordar, para nunca mais a cidade dormir". O filme, agora, busca verbas para levar o documentário para o Interior do Maranhão, onde geralmente a internet não chega.


Filme Solrealismo Maranhense

Trailer http://youtu.be/UkZiTqTad1Y

Para baixar o filme ou assisti-lo é no www.solrealismo.com

_
Legado de miséria Legado de miséria Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, fevereiro 20, 2014 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD