Header AD

Inauguração esquenta disputa Sarney-Capiberibe

Governador Camilo Capiberibe quer José Sarney longe de evento porque 'nunca fez nada para ajudar na obra'

MACAPÁ - O Estado de S.Paulo
O "anúncio" da inauguração presidencial da ponte do Oiapoque feito pelo senador José Sarney (PMDB-AP) há dez dias acirrou a disputa eleitoral para 2014 e acendeu a briga pela paternidade da obra. Adversário visceral de Sarney, o governador Camilo Capiberibe (PSB) diz haver um "embaraço" causado pelo aliado de Dilma Rousseff.

Filho do senador João e da deputada Janete Capiberibe, ambos do PSB, Camilo diz que o Sarney "não cabe nem caberá" no palanque inaugural da ponte, já que "nunca moveu uma palha" no Congresso para tirá-la do papel. "Aqui, todos sabem que decisivo foi o senador Capiberibe em seus governos (1995-2002)", declarou ao Estado.

Capiberibe rejeita solenidades, "puxadinhos" e inaugurações até que se resolvam "todas as pendências" bilaterais. Quer, sobretudo, derrubar a exigência de visto na fronteira. "Na França, não se exige visto. Mas aqui, sim. Nós não aceitamos por que não somos cidadãos de segunda classe", diz. O tema deve ser avaliado na visita de François Hollande à presidente Dilma.

A família que hoje controla o Amapá tem desavença histórica com Sarney, acusado de agir nos bastidores pela cassação de João Capiberibe, em 2005, por compra de votos e também pela resistência a dar posse ao senador, eleito em 2010, sob alegações de desrespeito às regras da Lei da Ficha Limpa.

Em pé de guerra com o adversário, e alvejado por um pequeno grupo de deputados estaduais ligados a Sarney, Camilo tem apoio do PT local. Sua vice, Dora Nascimento, alinha-se para a reeleição e também avalia enfrentar Sarney pela vaga ao Senado em 2014. "Nosso problema aqui é o Sarney", resume Dora.

No início de outubro, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, piorou o clima ao elogiar Sarney em encontro com prefeitos, em Macapá. O governador não se conteve e respondeu que o senador "raramente" era visto no Estado. E elevou o tom de cobrança ao Palácio do Planalto. "Sou do partido de Eduardo Campos (adversário de Dilma em 2014), mas tenho e terei o PT comigo", diz. O apoio petista, ou pelo menos sua neutralidade, a Sarney dependerá do palanque no Maranhão, onde o PT quer Flávio Dino (PCdoB).

A vice Dora Nascimento informa que o presidente petista Rui Falcão deve tratar "ainda nesta semana" do palanque no Amapá com o ex-presidente Lula.

Consultada, a assessoria de Sarney informou que o senador, que ainda não assumiu a candidatura à reeleição, tem longa folha de serviços prestados ao Amapá e não tinha a data da inauguração da ponte, algo que caberia à presidente Dilma Rousseff decidir. / M.Z.
_
Inauguração esquenta disputa Sarney-Capiberibe Inauguração esquenta disputa Sarney-Capiberibe Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on domingo, dezembro 01, 2013 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD