Header AD

Repúdio à “Guinada à direita”

Repúdio à suposta “ironia” de “Guinada à direita” de Antônio Prata

Por Nezimar Borges

Artigo publicado pelo escritor Antônio Prata para o jornal de direita Folha de São Paulo – Guinada à direita - está sendo considerado para alguns como um verdadeiro exercício de coragem ao exaltar a “direita hidrófoba”, a salvação para o Brasil, o exemplo de ideologia a ser seguida. Para outros há tantos “entretantos” no universo deste divagar insano. Prata inicia com a frase atribuída ao primeiro ministro inglês Wilson Churchil: "Um homem que não seja socialista aos 20 anos não tem coração; um homem que permaneça socialista aos 40 não tem cabeça". Todavia, há certamente uma crise de identidade depois dos 40 anos no histórico dos pesudo-intelectuais. Talvez por uma desilusão ideológica imbricada com a certeza de que a Teoria de Charles Darwin, ainda que científica, mas bárbara, governa o mundo – a lei dos mais fortes; ou pela satisfação de bem estar social que a elite atinge na maturidade, rechaçando, assim, qualquer iniciativa contrária que ameace seus bens (i)morais.

Prata vocifera que “vivemos num totalitarismo de esquerda”. Com desatinos como as de que “a rubra súcia domina o governo, as universidades, a mídia, a cúpula da CBF e a Comissão de Direitos Humanos e Minorias, na Câmara”. Ora, sabe-se que essencialmente as diversas instituições da democracia burguesa que domina o Brasil é de direita. O Congresso Nacional está eivado de conservadores corruptos, pouco mais de três famílias concentram em seu poder as maiores mídias do país; a Confederação Brasileira de Futebol(CBF) é dirigida pelo torturador da época dos anos de chumbo, Jose Maria Marim; a Comissão de Direitos Humanos é presidida pelo lunático de direita, o pastor Marcos Feliciano.
Há vários fatos grotescos, insanos e anti-humanos que definitivamente estão associados com a ideologia de direita, um deles amplamente conhecido – o Nazismo.

A desfaçatez de Antônio Prata chega ao cume quando desbragadamente expõe “quem há de negar que é preciso reagir? Quando terroristas, gays, índios, quilombolas, vândalos, maconheiros e aborteiros tentam levar a nação para o abismo, ou os cidadãos de bem se unem, como na saudosa Marcha da Família com Deus pela Liberdade, que nos salvou do comunismo...”.

A ideologia direitista ataca, sobretudo, seres vulneráveis decorrentes das dramáticas desigualdades sociais promovidas pela lógica capitalista, efeitos colaterais da dinâmica da sociedade de consumo; almejam a degola dos fracos, das minorias; são raivosos contra as cotas para negros(são absurdamente racistas), possuem sentimentos indignos contra indígenas, possuem exacerbada ojeriza e nojo contra negros, deficientes físicos e gays. São implacáveis para com os quem ajudam os necessitados – prova ser o exemplo dos médicos cubanos, irrefutável.

Veja o ladrar “ipsis litteris” de Prata quando o seu rosnar torna se revelador: “Contra o poder desmesurado dado a negros, índios, gays e mulheres (as feias, inclusive), sem falar nos ex-pobres, que agora possuem dinheiro para avacalhar, com sua ignorância, a cultura reconhecidamente letrada de nossas elites, nós, da direita, temos uma arma: o humor”.

Queira saber, leitor, que a direita escamoteia a direita. Viu-se alguma vez na grande mídia aqui ou fora do Brasil anunciar que o expoente maior deles – o nazismo –Adolf Hitler, ser o mais bárbaro e inexoravelmente representante desta ideologia? Lamentavelmente quem se pauta pela grande mídia, está sujeito a adormecer na mais longa das trevas da ignorância.

Não é normal, portanto, a direita verbalizar o que pensa e sente. Mas afinal, o que está acontecendo para que sentimentos depauperem e abandone o armário? Quiçá a preocupação por causa da minguada diminuição das desigualdades sociais nos últimos anos, que faz os anteriormente pobres disputarem espaço com estes ditos “superiores”, revela o ódio contra aquelas minorias que um dia estiveram sem vez e, sobretudo, sem voz.

Lamentável ainda se ouvir: “não existe direita e esquerda!”. Podem ser dissimulados ou ignorantes políticos, neste último caso - pobres coitados.

Veja artigo de Antonio Prata, aqui.
_

Repúdio à “Guinada à direita” Repúdio à “Guinada à direita” Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quarta-feira, novembro 06, 2013 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD