Header AD

Randolfe desperta ódio do pitbull da direita brasileira

Randolfe, o fofo do partido que quebra, depreda e picha, quer ser presidente…

Por Reinaldo Azevedo (Colunista da Revista Veja)

Assim que ler as primeiras linhas deste texto, um amigo querido vai comentar: “Lá vai o Reinaldo contestar até o PSOL…” Ele acha que compro brigas demais, algumas, diz ele, irrelevantes. Até tendo a achar que ele tem razão. Mas sabe como é… O sapo tem uma natureza, e eu, um rottweiler, também… Sim, vou falar do PSOL. Sim, vou tratar do lançamento da pré-candidatura do senador Randolfe Rodrigues (AP) à Presidência da República. Sim, numa primeira mirada, não tem importância nenhuma. Leiam o que informa Gabriela Guerreiro na Folha Online. Volto em seguida.
*
O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) lançou nesta quinta-feira (21) sua pré-candidatura à Presidência da República. Com o discurso de que será um candidato “legitimamente de esquerda”, o senador disse que seu objetivo é fazer um contraponto às demais candidaturas já colocadas para 2014. O PSOL ainda vai definir o nome de seu candidato à Presidência em congresso que será realizado no final de novembro. A ex-deputada Luciana Genro (PSOL-RS) vai disputar internamente com Randolfe a candidatura da sigla ao Palácio do Planalto –mas o senador tem o apoio da cúpula da sigla, incluindo o presidente Ivan Valente (PSOL-SP).
Randolfe disse que sua candidatura não será de “protesto” e sua disposição é entrar na disputa para ser eleito ao Palácio do Planalto — se o PSOL formalizar o seu nome. “Eu quero no dia primeiro de janeiro de 2015 subir a rampa do Planalto como presidente eleito. Vamos disputar para isso.”
Valente afirmou que Randolfe deve ser escolhido por ser jovem e disposto a viajar pelo país para divulgar as bandeiras do PSOL. O presidente da sigla disse que não há espaço para o PSOL fazer candidaturas de protesto depois que o partido elegeu o governador do Amapá e quase chegou à Prefeitura do Rio de Janeiro. “O PSOL está em processo de crescimento”, afirmou.
A principal bandeira da campanha do senador será a ampliação dos gastos públicos e investimentos em saúde e educação se conseguir ser eleito, na contramão do que prega o governo federal. Randolfe disse que a presidente Dilma Rousseff, que deve disputar a reeleição, e os pré-candidatos Aécio Neves (PSDB-MG) e Eduardo Campos (PSB-PE) são “reféns” do tripé econômico internacional (câmbio flutuante, superavit primário e meta inflacionária).
“O dogma das metas de inflação, altas taxas de juros e câmbio flutuante são bandeiras comuns de todos os candidatos. Todos são contra ampliar os investimentos públicos. Como não ter agentes de saúde mesmo com o povo precisando de mais atendimento na saúde, mas ter recursos para favorecer o mercado financeiro? Nós sabemos a quem vamos atender”, afirmou.
(…)
O PSOL vai tentar firmar coligação com o PSTU e o PCB, dois partidos de esquerda, mas ambos já sinalizaram que terão candidatos próprios à Presidência. A cúpula do PSOL diz que fará uma campanha presidencial de baixo custo, com o apoio de sua militância, sem a doação de grandes empresas –como as do agronegócio, bancos ou instituições financeiras, empreiteiras e as que detém monopólios internacionais. “Não vai ter jatinho, vamos voar de aviões de carreira, andar de barco, até na caçamba de caminhão”, disse a ex-senadora Marinor Brito (PSOL-PA).

Voltei
Eu me nego a debater o que o senador diz ser “dogma” — até porque, se dogma fosse, deveria mesmo ser preservado. Como dogma não é e como há pessoas estúpidas o bastante para achar que se podem ignorar marcos da estabilidade, discutir o assunto é dar asas a estúpidos.

O meu ponto é outro. Vocês viram como ficou a reitoria da USP depois da mais recente invasão. Perdia para um chiqueiro. Violência, desrespeito ao bem público, delírio… O PSOL de Randolfe, o fofo, foi um dos comandantes da invasão. Ainda hoje, o partido impede alguns cursos da FFLCH da universidade de ter aula, em nome de uma greve que não existe. Alunos e professores passam por intimidação. Há um clima de ameaça.

No Rio, o PSOL comandou a aloprada greve dos professores, em parceria declarada, assumida por escrito, com os black blocs. Só os pobres se danaram. Só os pobres se ferraram. Não obstante, Ranfolfe é um do queridinhos da imprensa em Brasília, com seu jeitinho manso, e Marcelo Freixo é o ópio dos subintelectuais do Rio e dos socialistas do Complexo da Ideologia Alemã (Leblon, Ipanema e Copacabana). Recente vídeo de globais convocando um protesto, com endosso ao quebra-quebra, era expressão desse jeito Freixo de ser.

Não fosse a violência que essa gente promove cotidianamente nas universidades e no movimento sindical, eu deixaria Randolfe de lado. Mas não deixo, não. Ah, sim: Randolfe não é consenso no partido, não, tá? Há quem o ache moderado demais.

_
Randolfe desperta ódio do pitbull da direita brasileira Randolfe desperta ódio do pitbull da direita brasileira Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sexta-feira, novembro 22, 2013 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD