Header AD

O pesadelo pedetista

Conj. Mucajá, mostrado como modelo de 'eficiência' do governo do PDT, hoje é sinônimo de pesadelo

De vedete da campanha de Roberto Góes à Prefeitura de Macapá, o Conjunto Mucajá apresenta, precocemente, os sinais de uma obra de baixo padrão e se tornou uma dor de cabeça para as famílias que lá habitam.

Surrupiado do MZ Portal
Durante a campanha eleitoral de 2012, o Conjunto Habitacional Mucajá foi vendido à população de Macapá como o exemplo máximo da forma de governar do PDT. Não se passaram três anos e o Mucajá, que não foi totalmente concluído, se tornou um exemplo obra mal feita que tem causado enormes transtornos para os seus moradores.

Construído com recursos do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal, o Conjunto Mucajá foi inaugurado em outubro de 2011, com 592 apartamentos divididos em 37 blocos. Cada apartamento possui dois quartos, sala, cozinha com área de serviço e banheiro social.

Grande parte dos apartamentos foi destinada às famílias que moravam em áreas insalubres da Vila do Mucajá, que conviviam constantemente com o risco de enchentes e violências.

Desde a entrega das chaves, já existiam críticas relacionadas à transferência, sem nenhuma preparação prévia, de famílias residentes em área de ressaca para apartamentos que nada tinham em comum com a antiga moradia. Mas parece que a pressa em usar a obra eleitoralmente foi mais importante do que o bem-estar das pessoas.

Com o aparecimento de rachaduras nas paredes dos apartamentos de um dos blocos do conjunto, fato denunciado à imprensa pelos moradores, somaram-se, aos problemas de adaptação a um novo modelo de vida, a insegurança quanto à qualidade física da construção - os moradores estão temerosos que o bloco desabe.

Notificada, a Prefeitura de Macapá fez uma vistoria técnica e verificou que algumas das rachaduras são decorrentes de modificações realizadas pelos próprios moradores - outras não, mas os resultados ainda são preliminares.

A Secretaria Municipal de Obras de Macapá (Semob) também está analisando de quem é a responsabilidade pelos reparos que precisarão ser feitos, se da PMM, da construtora ou dos moradores.
_
O pesadelo pedetista O pesadelo pedetista Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, outubro 03, 2013 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD