Header AD

Assassinato

Preso teria revelado esquema para obter delação premiada

O processo que apura o assassinato do ex-sócio da empresa LMS, Edival Fernando Coelho Queiroz, de 40 anos, morto a tiros na madrugada de 23 de fevereiro deste ano, corre em segredo de Justiça.

Porém, o Diário do Amapá apurou que as investigações tiveram desdobramento há cerca de 15 dias quando Adrevaldo Ferreira, o “Pimpolho” - acusado de participação no crime do empresário - por meio do advogado Cícero Bordalo Júnior, negociou sua libertação por meio da delação premiada.

Pimpolho delatou, em depoimento, o mandante e executores do crime. Em troca ele seria posto em liberdade. O advogado Cícero Bordalo foi procurado para comentar o assunto, mas não quis revelar detalhes. Ele disse apenas que seu cliente seria colocado no Programa Federal de Assistência a Vítimas e a Testemunhas Ameaçadas.

Indiciamento

A ex-esposa do empresário Edival Queiroz, Edjane de Nazaré Ferreira de Brito, 26 anos, foi indiciada pela polícia como mandante do assassinato. De acordo com as investigações, além de Pimpolho, participaram do crime Odemar de Jesus Pereira, o “Xodó”, Magno Barbosa de Souza e Sávio Maciel Oliveira, o “Beco” que ainda era menor de idade no dia do homicídio. O então menor assumiu ter disparado os tiros que mataram o empresário. (Diário do Amapá)
_
Assassinato Assassinato Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, outubro 24, 2013 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD