Header AD

G1 Amapá está sendo usado para fins eleitoreiros?

G1 Amapá ou Gazeta1? Linha editorial do G1-AP tenta camuflar feitos do governo

A TV Amapá, afiliada à Rede Globo de Televisão, emissora com mais tempo de inserção no mercado e maior recebedora de verbas públicas dos governos, se tornou o principal veículo de comunicação do Estado. A proposta da Rede Amazônica, em trazer o jornalismo da empresa para a internet, a principio teria o mesmo objetivo. Mas pela linha adotada pelo Portal de Notícias G1 Amapá, o projeto está mais para ser um mero instrumento para reproduzir conteúdos adotados pelo jornal A Gazeta que faz oposição declarada ao atual governo.

Um dos últimos feitos do Portal G1, foi escolher apenas um, entre 43 processos já analisados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), para atacar o atual governo. Parece que a linha editorial do bom jornalismo de combater a corrupção e denuciar as mazelas sociais, tanto clamada pelas organizações "Globo" e pela grande mídia nas manifestações de junho foram esquecidas pela equipe do G1-AP. Nem lembraram que o TCE é alvo de investigações da PF e teve diversos conselheiros afastados desde 2010.

Vale lembrar que o TCE-AP funciona num prédio da Av. FAB e não tem escritórios em outros municípios, contando com um efetivo de funcionários reduzido.  O órgão auxiliar da Assembleia Legislativa é alvo de investigação da PF e do STJ na Operação "Mãos Limpas" que prendeu o ex-presidente Júlio Miranda (dono de carros de luxo), acusado de fazer farra com dinheiro público e desviar milhões dos cofres da instituição. Até hoje o TCE-AP, conhecido por ser um "antro de corrupção" não abriu a sua caixa-preta para que o povo amapaense e outros poderes possam saber onde é gasto a fortuna que ultrapassa o orçamento de diversas prefeituras do Amapá.

O portal G1-AP que tem como editora-chefe, Lorena Kubota (ex-chefe do jornal A Gazeta), esqueceu que entre os 43 processos, estão condenações de ex-gestores e a abertura de investigação contra a deputada Marília Góes e o ex-prefeito de Macapá, Roberto Góes. Curiosidade ou não, no dia seguinte, o mesmo assunto saiu como chamada de capa do jornal A Gazeta de propriedade de Sillas Assis Jr, fiel escudeiro do senador José Sarney e opositor do governo. Fica a pergunta qual a razão do portal G1 blindar Waldez, Marilia e Roberto Goes? O braço das organizações Globo na internet esqueceu das prisões desses políticos e do montante de recursos públicos desviados por esse grupo político que a "PF" chamou de "organização criminosa"?
A chefe do G1-AP que veio do jornal "A Gazeta", ligado ao senador José Sarney, tem adotado uma linha tendenciosa no portal G1 contrárias ao governo e/ou diminuindo os feitos do GEA de maneira velada, utilizando jornalismo camuflado como incluir pontos negativos em agendas positivas ou excluindo nas manchetes a participação do GEA em ações de políticas públicas. Parece que a chefe da equipe do G1-AP tem adotado a mesma linha a mesma adotava quando comandava a redação do jornal "A Gazeta", mudando e interferindo em pautas e textos, conforme relatos de jornalistas que saíram do jornal e até hoje estão na justiça pra tentar receber meses de salários atrasados.

Não precisa ser especialista da área jornalística, basta um olhar mais atento para enxergar claramente a má vontade da editoria do G1 com a administração estadual:

Veja alguns exemplos de matérias positivas que as manchetes do G1 excluem o GEA:

"Candidatos aprovados em concurso da saúde no Amapá tomam posse" (Não afirma que foi o GEA que chamou os concursados)

Estudantes do EJA vão receber auxílio de R$ 120 para voltarem às aulas (Esquece de citar que as bolsas fazem parte do programa Educa Jovem, lançado pelo GEA)

Escolas vão utilizar lousas digitais que dispensam uso de pincel e giz (Não cita que ação de modernizar as escolas é do GEA)

Crianças plantam árvores em conjunto habitacional, em Macapá (Não cita que a construção do Conjunto Cidade Macapaba está sendo executada pelo GEA com recursos do governo federal)

Preço da passagem de ônibus entre Macapá e Santana reduz em R$ 0,15 (Esqueceu de citar que feito é uma decisão polítca do GEA que reduziu  a tarifa intermunicipal)

Vejam as matérias relativas à PMM e note a clara diferença de tratamento:

Concurso da Prefeitura vai abrir 800 vagas para a área da educação (Cita feito futuro da PMM, diferente da matéria sobre concursados do AP onde não cita que feito é do governo, onde foram feitas inúmeras chamadas do concurso)

Prefeitura de Macapá quer regularizar 60 mil lotes em 5 anos (cita ação da PMM)

"Pleno do TCE mantém suspensão de licitação de R$ 88 milhões em Macapá" (Não citou o nome "PMM" ou a gestão do prefeito do PSOL)

Macapá Verão leva 200 mil pessoas aos balneários, calcula prefeitura (Cita feito da prefeitura)

Prefeitura de Macapá reduz tarifa de ônibus em R$ 0,20 (Cita feito da prefeitura, diferente da redução da tarifa intermunicipal, onde não citou feito do GEA)

Via blog do Heversom Castro
_
G1 Amapá está sendo usado para fins eleitoreiros? G1 Amapá está sendo usado para fins eleitoreiros? Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, setembro 02, 2013 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD