Header AD

Contas em dia permitiu ao GEA acessar 2,8 bi junto ao Governo Federal

Governo federal reconhe a boa gestão das contas públicas no AP e libera 2,8 bilhôes

Após ter sido autorizado no início do ano pelo Governo Federal à contratação de três operações de crédito, que, juntas somam R$ 2,8 bilhões, o Governo do Estado do Amapá conseguiu, nesta quinta 17, a garantia da União para finalizar os processos de contratação que começaram ainda em 2011.

Via MZ Portal
O dinheiro será utilizado em diversas ações estruturantes já previstas nas propostas criadas pelo governo estadual, que envolvem desde o saneamento das dívidas e investimentos na infraestrutura da Companhia de Eletricidade do Amapá até a pavimentação de rodovias importantes para os municípios amapaenses, construção de hospitais, escolas, dentre outras.

Segundo o secretário de Planejamento, Juliano Del Castilo, até chegar a esse momento, o governo teve de fazer a regularização fiscal do Estado, superar inúmeras dificuldades como falta de prestação de contas de empréstimos realizados por governos anteriores e, em consequência disso, a ausência de credibilidade do Estado perante o Governo Federal.

Juliano considera "uma vitória" da sua equipe de trabalho, que, "com muito esforço e dedicação, conseguiu realizar, ao longo desse período, o levantamento de demandas para a elaboração do plano de investimentos que foi apresentado ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) como uma carta-consulta e, sobretudo, pensar o desenvolvimento do Amapá para os próximos anos".

A dificuldade do Estado em conseguir recursos federais teria iniciado em governos anteriores. Em 2009, o governo Waldez acessou recursos do Plano Emergencial de Financiamento, conhecidos como PEF 1 e, em 2010, ao PEF 2. No PEF 1, foram repassados ao governo R$ 136 milhões e, no PEF 2, R$ 204 milhões, totalizando R$ 338 milhões.

A prestação de contas referente ao PEF 1 foi bastante questionada na época. A crítica principal era a pulverização dos recursos em obras de difícil verificação. Exemplo disso são os R$ 5 milhões que teriam sido gastos em construção de passarelas.

Do PEF 2, o governo anterior só conseguiu acessar R$ 15 milhões. Projetos mal feitos e falta de credibilidade teriam sido as causas disso.

Algumas pendências dos dois financiamentos só teriam sido resolvidas no atual governo. Para tirar o Estado do Amapá da inadimplência, o governo Camilo negociou junto às agências credoras a quitação das dívidas através de realização de obras no valor devido e, não sendo possível isso, devolvendo os recursos ao Governo Federal. Somente com a ponte sobre o Rio Vila Nova, o governo foi obrigado a gastar R$ 16 milhões, que poderiam ser utilizados em outras prioridades.

Além disso, iniciou-se um processo de regularização de dezenas de convênios de repasses de recursos federais que não foram prestados contas na gestão anterior e impunham ao Estado o seu registro no Cauc, uma espécie de lista de mau executores desse tipo de convênio.

Ainda em 2010, com a aprovação da Lei nº 1494, de 31 de maio de 2010, o governo foi autorizado a pleitear junto ao BNDES o montante de R$ 980 milhões para despesas de capital. A falta de credibilidade, combinada com a ausência de projetos consistentes, teria impedido o Estado de acessar esses recursos.

Em razão deste histórico, para Juliano Del Castilo, conseguir levantar R$ 2,8 bilhões, junto ao Governo Federal, atesta a administração séria e rigorosa com os gastos públicos do governador Camilo.

"A contratação de operação de crédito junto ao BNDES e Caixa demonstra que o Governo do Amapá está regularizado do ponto de vista fiscal. Antes de conceder o crédito, as contas do Estado são checadas por organismos federais", reiterou Juliano.

Outra vitória do governo seriam as condições excepcionais para o pagamento do empréstimo. Enquanto em condições normais o Estado teria dois anos de carência e oito anos para quitar a dívida, para essa operação o governo terá os mesmos dois anos de carência, porém, com 18 anos para a quitação do principal.
_
Contas em dia permitiu ao GEA acessar 2,8 bi junto ao Governo Federal Contas em dia permitiu ao GEA acessar 2,8 bi junto ao Governo Federal Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sábado, maio 18, 2013 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD