Header AD

Trabalhadores da UDE diante do fantasma do desemprego

Trabalhadores da UDE: Descaso do governo Waldez põe em risco o emprego de 4 mil

MZ/PORTAL 
Na última sexta-feira, 10, o governo do Amapá assinou o Termo de Ajuste de Conduta (TAC) se comprometendo em resolver, no prazo de 180 dias, a situação dos 4 mil trabalhadores das Unidades Descentralizadas de Execução (UDE) das secretarias de Estado da Educação (Seed) e do Deporto e Lazer (Sedel), cuja contração foi considerada ilegal pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) da 8ª Região Federal.
O caso na verdade, deveria ter sido resolvido no dia 30 de junho de 2007. Na época, o Ministério Público do Trabalho detectou a irregularidade na contratação de trabalhadores via UDE e determinou ao então governador Waldez Góes que fosse firmado um Acordo Extrajudicial, onde o governo teria que se comprometer em resolver o problema.
O documento foi assinado pelo ex-procurador geral do Estado, Ruben Bermeguy e pelo procurador do Trabalho Luís Fabiano Pereira, mas não foi cumprido por Waldez. Nele ficou claro que o Estado assumiria o compromisso de regularizar os depósitos do FGTS e outros encargos sociais de todos os trabalhadores. Além de acabar com a contratação via UDE.
Por conta, destas irregularidades e da omissão dos ex-gestores é que o procurador do Trabalho da 8ª Região, Paulo Isan Coimbra, disse que vai processar os ex-governadores Waldez Góes (PDT) e Pedro Dias de Carvalho (PP) por improbidade administrativa. Segundo Coimbra, também serão processados pelo Ministério Público do Trabalho os ex-secretários de Educação e os ex-procuradores dos governos de Waldez e Pedro Paulo.
Na ação que será ajuizada, o Ministério Público doTrabalho vai pedir também a devolução dos valores pagos indevidamente, além da aplicação de multas aos infratores. Paulo Coimbra anunciou as medidas após assinar o Termo de Ajuste de Conduta (TAC) que põe fim às irregularidades.
O documento assinado na sexta-feira, 10, também subscrito pelo procurador-geral do Estado, Antônio Kleber Silva, pela titular da Seed, Euda Araújo, e pelo gestor da Sedel, Mário Brandão, abre um prazo de 180 dias para o levantamento dos valores desviados e identificação de todos os gestores incursos em Improbidade Administrativa.



Trabalhadores da UDE diante do fantasma do desemprego Trabalhadores da UDE diante do fantasma do desemprego Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quarta-feira, abril 17, 2013 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD