Header AD

Randolfe responde às acusações de Fran Junior

RANDOLFE SE DIZ VÍTIMA DE INTIMIDAÇÃO

Moreira Mariz: Em discurso na tribuna do Senado, senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).
Senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), acusado de receber "mensalão" de R$ 20 mil durante seis meses, quando exercia o cargo de deputado estadual no Amapá, diz que denúncias são falsas e "uma clara tentativa de intimidação" ao seu trabalho contra o grupo denunciado na CPI do Narcotráfico, entre eles o deputado estadual Moisés Souza, cujo gabinete é chefiado por Fran Júnior, autor da ação

18 DE MARÇO DE 2013 ÀS 13:39

Do portal 247

247 – O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) diz que são falsas as acusações de que ele teria recebido um "mensalão" de R$ 20 mil durante seis meses em 1999 e 2000 (leia mais). O autor da ação, que foi encaminhada à Procuradoria-Geral da República pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), é o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Amapá Fran Júnior. Segundo ele, o dinheiro foi pago pelo então governador João Capiberibe (hoje senador) em troca de apoio político e o ex-governador também teria sido beneficiado.

Para Randolfe, trata-se de uma "clara tentativa de intimidação" ao seu trabalho contra o grupo que foi denunciado na CPI do Narcotráfico, do Senado. De acordo com Randolfe, o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Estado Moisés Souza, afastado em 2012, foi um dos denunciados pela CPI por envolvimento no crime organizado, tráfico de drogas e corrupção ativa. Hoje deputado estadual, tem o gabinete chefiado por Fran Júnior.

"A ação de Fran Júnior é uma clara tentativa de intimidação ao trabalho do Senador Randolfe, que foi um dos principais defensores do trabalho do Ministério Público no desbaratamento desse grupo que por anos desviou recursos dos cofres públicos do Amapá", informa nota encaminhada pela assessoria de imprensa do parlamentar. "Essas falsas denúncias são um salvo-conduto para impedir nossa atuação", acrescentou o senador.

Pedido de apuração na PGR

Randolfe conta que ele próprio levou o dossiê que está sendo distribuído no Senado com denúncias contra ele ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, a fim de que seja comprovada a sua falsidade. "Além disso, entregou os documentos referentes a todas as medidas judiciais adotadas pelo senador para essa comprovação", relata a assessoria, que acrescenta que Gurgel se mostrou surpreso com as informações apresentadas.

Pronunciamento no Senado

Em discurso proferido em plenário na semana passada, Randolfe Rodrigues afirma que qualquer denúncia merece uma "profunda investigação", independente das acusações as quais responde o acusador. Por isso ele diz ter tomado algumas providências, como a quebra de seu sigilo bancário e o pedido de divulgação, pelo Banco do Brasil, de todos os seus cheques emitidos no período de seu mandato, de fevereiro de 1999 a janeiro de 2006.Assista aqui.

Na reportagem publicada sobre a denúncia nesta segunda-feira, a Folha de S.Paulo atribui o encaminhamento da petição à PGR, por Renan Calheiros, ao fato de que Randolfe Rodrigues e João Capiberibe (PSB-AP) foram contra a eleição do atual presidente do Congresso. Procurada pelo 247, a assessoria de imprensa do presidente do Senado informou que recebeu uma notícia-crime e apenas a despachou para o órgão responsável pela investigação. O caso não tem nada a ver, segundo a assessoria, com o fato de os parlamentares terem ou não apoiado a eleição de Renan à presidência do Congresso.
_
Randolfe responde às acusações de Fran Junior Randolfe responde às acusações de Fran Junior Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, março 18, 2013 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD